Blogger Widgets

Meu Anjo- Ana Paula de Cassia Oliveira

Ana Luíza de Melo é uma promissora psiquiatra de 27 anos, mãe solteira e noiva. Sua vida vira de cabeça para baixo quando a filha é diagnosticada com leucemia. Ana é obrigada a procurar o homem que jurou nunca mais  ver, o pai da sua filha.
Em breve na Amazon.
3 comentários

Herdeiros do Paraíso - Elizabeth Pereira pelo espiríto Sophie


Herdeiros do Paraíso é um romance de época que se passa no século X. Acompanha a trajetória do padre Phelipo de Ravena, que ao pedir clemência por condenados é expulso pelo Papa do condado de Cerveteri. De lá ele somente leva as lembranças de Teodora, sua amante.

Seu novo destino é um povoado afastado e esquecido de todos no pequeno povoado de Santo Hilário. Assim que chega ao seu destino o espírito de uma jovem o guia até o padre Antônio Ibero. Ele morre logo em seguida deixando um misterioso anel de caveira, que representava uma seita secreta.

O povoado é constituído de poucos indivíduos que foram esquecidas pela Santa fé. A Igreja de Santo Hilário é chamada de São Lázaro. A medida que o padre vai reunindo pistas através de seus moradores um grande mistério começa a se desenrolar. Cavalheiros foram ressuscitados naquele lugar, entre eles Alexandros do Espiríto Santo.

“Até aqui acompanhei seus mortos. Retrocedei, pois agora diante da selada passagem, onde lágrimas de cristal fecundam o portal obscuro no qual há seu tempo o cerne deverá ser arrebatado”.

Phelipo vai descobrindo cada vez mais sobre esta nova seita ao mesmo tempo em que sonha com sua amada Teodora, proibida para ele por ser casada com seu próprio primo e por seu voto de castidade.

O livro é excelente. Trata temas como reencarnação, mediunidade, amor incondicional. Trechos da história de Jesus e ainda sobre o verdadeiro amor.


“...ali estavam aqueles que poderiam ser reconhecidos como discípulos do Cristo por muito se amarem e darem exemplos do mais puro e desinteressado amor, o amor ao ato de amar...”
0 comentários

Filme Geração Prozac, resenha


"Hemingway tem um momento clássico em ‘O Sol também se Levanta’. Quando perguntam para Mike Campbell como ele faliu, tudo que ele consegue dizer é: ‘gradualmente, depois rapidamente’. É assim que a depressão atinge. Você acorda numa manhã com medo de viver”.
A adaptação do livro de Elizabeth Wurtzel, Geração Prozac, é o primeiro longa-metragem em idioma inglês do diretor norueguês Erik Skjoldbjærg. A escolha por retratar o best-seller mundial de1994 foi inteligente e a produção cinematográfica nada menos que um relato vívido, dramático e enternecedor sobre a depressão.
A atriz Christina Ricci estrela como Lizzie, uma estudante que acaba de ser aceita em Harvard, onde pretende estudar jornalismo e lançar uma carreira como escritora. No entanto, a situação familiar fragilizada de Elizabeth que inclui um pai errante (Nicholas Campbell) e uma mãe extremamente amarga e exigente (Jessica Lange) leva a jovem a uma luta aflitiva contra a depressão.
Os dias de Lizzie na Universidade são marcados por instabilidade emocional, episódios de comportamento suicida, insônia, auto-mutilação e abuso de álcool e drogas. A situação penosa da universitária faz com que sua colega de quarto e melhor amiga, Ruby (Michelle Williams), bem como os seus dois primeiros namorados (Jonathan Rhys-Meyers e Jason Biggs) a levem uma psiquiatra para aconselhamento médico, Dra. Diana Sterling (Anne Heche), que prescreve a droga dita como resolutiva, Prozac. A partir daí Lizzie começa a fazer escolhas difíceis sobre seu futuro.

“Se minha vida pudesse ser como nos filmes... Queria que um anjo descesse até mim como faz com Jimmy Stewart em ‘It’s a Wonderful Life’ e convencesse-me a não cometer suicídio. Sempre esperei por esse momento de verdade para me libertar e mudar minha vida para sempre, mas ele não virá. Não é assim que acontece. Todos os remédios, toda a terapia, brigas, raiva, culpa, Rafe, pensamentos suicidas, tudo isso era parte de um processo de recuperação lento. Da mesma forma como desmoronei, eu voltei a me levantar, gradualmente, e depois rapidamente”.
0 comentários

Livro Lembranças Perdidas, apresentação

E se você acordasse em um lugar desconhecido? Se as suas últimas lembranças estivessem perdidas? Se fosse presa e se apaixonasse pelo seu algoz? Se ele escondesse um terrível segredo do seu passado que mudasse tudo? Se tudo o que você acreditasse não passasse de uma ilusão?
No Brasil colonial, Cecília Fontaine, uma jovem da elite cafeeira, acorda em lugar desconhecido sem se lembrar dos últimos anos. Ela é prisioneira na casa do duque de Vila Nova. Enquanto junta as peças do seu passado, Cecília se apaixona pelo seu algoz, que esconde um grande segredo.
Quote:
Senti um vento gelado no meu rosto, abri os olhos e percebi que já era de noite. Deparei-me com as estrelas, cujo plano de fundo era imensidão do universo. Tentei encontrar as constelações, mas não consegui localizá-las. Até que vi a estrela mais brilhante de todas, ela parecia muito perto de mim. Apontei para ela.
― Eu me ausento apenas por dois dias, quando volto encontro-a aqui fora no frio.
Olhei para Estevan que havia se ajoelhado do meu lado, porém fingi que não escutei o seu comentário, continuei olhando para a estrela.
Ele tirou a cartola, e surpreendente se deitou ao meu lado na grama, e disse para mim como se compartilhássemos um segredo:
― É a estrela Sirius. Quando eu sentia muitas saudades de alguém, olhava para a estrela com a certeza de que onde quer que a pessoa estivesse, a Sirius também estaria com ela. Mesmo distantes de alguma forma, nós estávamos juntos.
Ele apontou para o céu como se estivesse fazendo um desenho:
― Aquela é a ursa maior.
Estevan continuou tracejando com uma pena invisível as constelações.
Eu escutava o que ele dizia tendo certeza que, embora as estrelas fossem muito bonitas, não se comparavam aos olhos azuis de Estevan.


Adquira comigo  e-mail: decassia222@yahoo.com.br





0 comentários

Resenha Primeiro e Único-Emly Giffin

   
  A autora Emily Giffin é uma das minhas autoras prediletas. Pois ela recria o cotidiano nos seus livros com tanto sentimento que a história salta do papel  parecendo real, como se falasse de uma de nossas vizinhas. As suas personagens femininas passam por conflitos verossímeis e como nós tem seus defeitos.

  Com esta personagem não é diferente. Shea é uma jornalista de 33 anos que vive tranquilamente na sua cidade natal. Ela é apaixonada por futebol americano, tem um namoro e conta sempre com sua melhor amiga Lucy.

  Até que a morte da mãe de Lucy faz Shea refletir sobre toda sua vida. Ela se dá conta que está confortável, mas não está satisfeita com o seu destino. É então que ela reuni toda sua coragem para abrir mão do certo e correr atrás de um caminho diferente.

“Ao longo dos anos, aprendi a importância de dar um passo de cada vez e que fingir gentilezas pelo período de algumas horas era algo muito mais fácil de se fazer do que fingir gosta de alguém por vários dias seguidos.”
0 comentários